MENU

Depressão pós-parto é uma realidade - Conheça os sinais

Muitos homens julgam que a depressão pós-parto é algo que não acontece com frequência. No entanto, para uma mulher, passar por todo o processo de gravidez pode ser algo traumatizante (principalmente se não tiver o devido acompanhamento).

Contrariamente ao que possa pensar a depressão pós nascimento é algo muito comum, e ocorre em cerca de 25% a 30% das recém mamãs.

Assim sendo é preciso alertar para os sintomas mais ocultos desta doença, que se não for tratada ou acompanhada logo à partida, pode gerar problemas de maior.

De seguida, apresentamos-lhe os sintomas e sinais da depressão pós-parto.

Depressão pós-parto: Quais os principais sintomas?

Em primeiro lugar é importante frisar que embora a depressão pós-parto seja muito mais frequente nas mulheres, a mesma pode também ocorrer em homens.

Por norma, os sintomas são desencadeados por medo, aumento da responsabilidade, falta de preparação para esta nova jornada… enfim, são muitos os motivos pelos quais a mesma pode ser desencadeada.

A par disso, os principais sintomas podem ser percebidos logo após o nascimento do bebé, embora por vezes demorem um pouco mais a serem percebidos.

Assim, de seguida perceba quais os principais sintomas da depressão pós-parto.

·        Irritabilidade e vontade frequente de chorar

·        Tristeza prolongada (que dura por norma mais de duas semanas)

·        Falta de energia para qualquer tipo de atividade

·        Incapacidade de realizar tarefas do dia a dia que antigamente eram prazerosas

·        Desinteresse pelo bebé ou ansiedade exagerada pelo seu estado de saúde

·        Baixa autoestima e perda de confiança em si

·        Sensação de culpa, vergonha ou fracasso

·        Dificuldade de concentração, atenção e memória

·        Alterações do apetite e do sono (normalmente associado a insónias ou dificuldades extremas em dormir)

·        Ideias de morte ou suicídio

Nos primeiros dias após o nascimento do bebé, é normal que a mulher apresente alguns destes sinais.

Mas, é importante frisar que isso é extremamente normal, uma vez que existe a necessidade de a mãe se adaptar às suas necessidades e às necessidades constantes do bebé!

Contudo, se estes sintomas durarem mais do que 2 semanas, aí sim poderemos estar a par com o início de uma depressão pós-parto. E, nesse caso, é importante que seja dado à mãe todo o apoio necessário para este processo ser desenvolvido.

Causas e fatores de risco para o desenvolvimento de uma depressão

Muitos homens julgam ainda que a depressão pós-parto se deve exclusivamente às hormonas. Claro que as mesmas têm uma quota parte na influência na alteração do humor.

No entanto, não são apenas as hormonas que influenciam a depressão. Por norma, são uma série de fatores biológicos, psicológicos, familiares e socioeconómicos.

Vários estudos demonstram que um dos principais precursores da depressão pós-parto é a ansiedade que está associada à própria gravidez.

Por norma os primeiros sinais de depressão começam durante a mesma. Assim, é importante ir acompanhando e avaliando este tipo de situação.

É também importante ter em mente que existem alguns fatores de risco que têm de ser considerados:

·        Historial pessoal ou familiar de depressão

·        Depressão durante a gravidez

·        Ansiedade durante a gravidez (ainda mais importante do que a depressão)

·        Complicações na gravidez ou no parto

·        Parto anterior traumático

·        Perdas gestacionais anteriores

·        Falta de apoio familiar

·        Má relação conjugal

·        Ser mãe de prematuros ou de gémeos

·        Gravidez indesejada

Sintomas de depressão pós-parto nos homens

Sim, tal como dissemos anteriormente os homens podem também desenvolver sintomas de depressão pós-parto.

Embora não seja muito comum, a verdade é que é possível, e existem sintomas que se forem bem analisados podem ser comuns a milhares de homens no seguimento do nascimento de uma criança.

Assim, os mais comuns são:

·        Irritabilidade e impaciência

·        Tristeza

·        Pensamentos negativos

·        Falta de vontade para conviver com outras pessoas

·        Falta de apetite

·        Ansiedade

·        Sentimento de falta de atenção

·        No caso de ter mais filhos pode haver a dificuldade de se relacionar com eles

Estes são os sintomas mais comuns de uma depressão pós-parto no masculino. E, nestes casos, estes sintomas acabam essencialmente por ser despoletados devido ao aumento das responsabilidades relacionadas com a necessidade de fornecer uma vida estável ao bebé e dar supor emocional à esposa.

Estes são os sintomas mais comuns de uma depressão pós-parto, assim como os sinais de alarme que deve ter em consideração.

Assim sendo, se verificar que alguém foi pai ou mãe há pouco tempo e ainda apresenta estes sinais, pode ser uma boa opção oferecer ajuda.

O Crédito Consolidado é operação que permite juntar todos os créditos num só. Pode, e deve, incluir todos os créditos pessoais, cartões de crédito, contas ordenado, crédito automóvel e se pretender também o crédito habitação. Pode ainda pedir algum financiamento extra. Passará a possuir uma única prestação, significativamente mais baixa do que a soma de todas as prestações anteriores. Em alguns caso pode ainda haver poupança no custo final do crédito. O Crédito Consolidado é o financiamento possibilitará o reequilíbrio do seu orçamento familiar. Tem como características principais: Não ser exigido qualquer tipo de garantia; Não tem normalmente Despesas de Liquidação ou Amortização Antecipada; Tem a possibilidade de obter um crédito pessoal agregado no consolidado; Liquidação dos créditos é feita pela entidade financiadora.
LinhaValor is a registered trademark of Best Prime Solutions, Lda. ©2020.

Activated by WeLead

Este site usa cookies, poderá consultar toda a informação na nossa página de Política de Privacidade. Reconheço e aceito que ao continuar a utilizar este site, dou o meu consentimento à utilização dos cookies deste site. Para mais informações sobre os cookies que utilizamos, como os gerimos e/ou apagamos, por favor consulte a nossa Política de Privacidade.
Contraste
Fontes legíveis